saudeeterapia@gmail.com
(11) 99524-2828
(11) 5044-0606
Schneider
Saúde e Terapia
Excelência em Tratamentos Naturais
Sua Saúde Levada à Sério
CISTITE – Causas, Riscos e Consequências

Sintomas – Diagnóstico – Tratamento e Prevenção da CISTITE (Infecção Urinária)

Cistite é uma (infecção da bexiga), que pode ser causada por Bactérias ou Fungos, iniciada na uretra e quando não tratada adequadamente pode evoluir para uma Pielonefrite (Infecção nos Rins). Nesse caso o quadro já é muito mais sério, sendo necessários cuidados muito mais específicos, para evitar consequências maiores ou muito mais sérias.

CAUSAS, RISCOS E CONSEQUÊNCIAS

Normalmente ela é causada por bactérias que invadem a uretra e a bexiga e as mulheres são mais suscetíveis ou vulneráveis do que os homens, já que a uretra da mulher é mais curta (aproximadamente 4 cm, ao passo que a dos homens tem 20 cm, em média), e por isso há uma distância menor para as bactérias percorrerem. Além disso, nas mulheres o ânus e as aberturas externas da uretra e da vagina são tão próximas que as bactérias podem migrar facilmente de uma a outra. As bactérias quase sempre responsáveis pela cistite são as que normalmente vivem no intestino humano sem causar problemas.

As infecções do trato urinário também podem ser causadas por obstruções. Quando elas ocorrem, a bexiga não consegue se esvaziar da maneira adequada. A urina restante na bexiga pode acabar sendo um foco para a reprodução de bactérias. As obstruções podem ter como causa: Pedras nos RinsProstatite (Próstata Inflamada e Aumentada) e Tumores, entre outras.

O revestimento da uretra também pode ter um defeito que permite a entrada de bactérias no trato urinário e relações sexuais frequentes podem traumatizar a uretra, rompendo seu revestimento e deixando-a mais suscetível às infecções.

Cistite não é comum em homens. Mas, quando ocorre, a causa comum é uma infecção que se espalhou da “Próstata Inflamada” ou se iniciou na bexiga em razão da próstata aumentada, que pode dificultar o completo esvaziamento da bexiga.

Uretrite (Infecção ou Inflamação da Uretra) normalmente é o início de uma cistite. A uretrite pode ocorrer tanto em homens quanto em mulheres, por relações sexuais com uma pessoa infectada. Os dois tipos mais comuns são a Uretrite Gonorreica e a Não-Gonocócica. As bactérias que causam a cistite podem vir pela uretra, porém são diferentes das que causam somente uretrite e em geral são associadas a doenças sexualmente transmissíveis.

Não podemos esquecer que uma cistite pode evoluir para uma Pielonefrite (Infecção dos Rins – processo que pode desenvolver para agudo ou crônico) e se transformar em um quadro de risco para a sua saúde.

SINTOMAS

Os sintomas da cistite incluem sensação de dor ou ardor ao urinar, necessidade frequente e urgente de urinar e, ocasionalmente, dor na região inferior das costas. Esses sintomas, junto com sangue na urina, indicam cistite hemorrágica, mais comum em mulheres. Apesar de ser um pouco assustadora, ela é frequentemente fácil de tratar. Contudo, crises repetidas ou sangramento persistente, visível ou microscópico, requerem investigação mais aprofundada. Nos homens, no entanto, sangue na urina não costuma ser atribuída à cistite hemorrágica e exige investigação imediata.

Com exceção do sangue visível na urina, todos os sintomas mencionados podem estar presentes na uretrite, que também costuma ser acompanhada de Secreção, Febre AltaCalafrios e Dor nas Costas (geralmente em um só lado), com ou sem quaisquer outros sintomas, costumam indicar Pielonefrite (Infecção dos Rins), que exige os cuidados imediatos de um médico.

DIAGNÓSTICO

O Diagnóstico da infecção urinária depende dos resultados do exame e da cultura de urina. A presença de um número que pode ir de moderado à grande, de Glóbulos Brancos (leucócitos), com pelo menos 100 mil colônias de qualquer tipo de bactéria em uma cultura, fornece evidências conclusivas de infecção.

Muitas vezes fica difícil determinar que parte do trato urinário está infectada, ou mesmo se há infecção. Nas mulheres, é comum a existência de certa quantidade de glóbulos brancos e de bactérias na abertura da uretra, em consequência de um corrimento vaginal. Portanto, para que a amostra de urina esteja livre desses contaminantes, geralmente se pede material retirado do meio do fluxo. A primeira urina costuma limpar os contaminantes da uretra, deixando o resto da amostra normalmente sem contaminação.

Esse procedimento é adequado para a grande maioria de casos de cistite simples. No entanto, se houver dúvidas quanto à validade da amostra ou se, por alguma razão, ela precisa estar totalmente livre de contaminantes, um cateter (um tubo fino e flexível) pode ser inserido na bexiga através da uretra, mas isso é muito raro. Basta antes da coleta da urina, que a mulher realize uma higiene local com água, sabão e povidine, no hospital ou no laboratório onde será colhido o exame.

No homem, se há suspeitas de que a causa da infecção é uma Prostatite (Inflamação da Próstata), o médico pode colocar uma luva e inserir um dedo no ânus do paciente para sentir a glândula diretamente. Uma amostra do fluido prostático pode ser obtida (massageando a glândula no momento do exame) por meio da uretra, para que se estabeleça uma cultura.

Em casos crônicos de cistite, tanto em homens como em mulheres, nos quais a causa da infecção recorrente pode ser uma obstrução, como: pedras nos rins ou problemas de esvaziamento. Nestes casos são necessárias radiografias especiais: material de contraste é inserido na bexiga por um cateter e tiram-se as imagens da bexiga e da uretra através de Raios X durante o ato de urinar. Com isso, podem ser detectados o afinamento de uma porção da uretra, a presença de pedras nos rins e o esvaziamento incompleto da bexiga (que promove cistite). Outro modo de se examinar a bexiga é por meio da Cistoscopia (exame feito com um instrumento semelhante a um tubo leve e flexível chamado de cistoscópio, o qual é inserido pela uretra). Esses procedimentos podem ser precedidos por estudos de exames com imagens, como: UltrassomTomografia Computadorizada ou Ressonância Magnética. A investigação de pedras no trato urinário é feita pela Ultrassonografia e quando o cálculo não é achado, o próximo passo é a Tomografia Computadorizada.

TRATAMENTO

O Tratamento da primeira ocorrência de cistite é feito com antibióticos orais. Já os casos recorrentes podem ser tratados da mesma maneira se forem causados por um organismo diferente. Nos casos, porém, em que o mesmo organismo está causando problemas novamente, podem ser necessárias dosagens maiores de medicamentos ou tratamento de longa duração (podem ser necessárias doses diárias de medicamentos por seis meses ou mais). É importante que as instruções de dosagem sejam seguidas à risca, pois, a pessoa fica vulnerável a uma nova infecção ou a se contaminar novamente pela mesma infecção caso o programa da terapia recomendada não seja completado.

Há indivíduos que possuem tendência a episódios repetidos de cistite ou de infecções da porção superior do trato urinário. Se houver algum defeito anatômico, como um afinamento da uretra, a dilatação (alargamento) pode ser necessária. Se houver pedras, pode ser que elas tenham que ser removidas. Se a fonte de infecção é a Próstata, os Antibióticos são a primeira solução e a Cirurgia, a última. Se não houver uma causa óbvia para a cistite recorrente ou intersticial, doses pequenas de antibióticos podem ser receitadas por longos períodos (terapia profilática ou preventiva).

PREVENÇÃO

Como Prevenção, as mulheres podem conseguir se proteger da cistite recorrente limpando-se da frente para trás com o papel higiênico e lavando-se com água e Sabonete Líquido (nunca em pedra) após cada evacuação. Elas também devem tentar urinar imediatamente após uma relação sexual, para lavar as bactérias que podem ter entrado na uretra. Entretanto, há controvérsias em relação à utilidade dessas medidas. Roupas íntimas folgadas e absorventes permitem a evaporação e absorção de fluidos corporais, ajudando a prevenir infecções. Tanto os homens como as mulheres devem beber bastante líquido e urinar com frequência, esvaziando completamente a bexiga a cada vez.

Agora que você já tem mais esclarecimentos sobre a cistite, se achar necessário, procure ajuda para evitar possíveis consequências e principalmente para ter uma saúde plena e livre de todos os incômodos e riscos que a cistite causa, além da privação da sua vida sexual.

Recomendação: Em nossos tratamentos fazemos recomendações de higiene bem mais específicas e eficazes e a recomendação do uso de absorventes específicos, que, além de serem bem mais eficientes combatem também com grande eficácia a proliferação de Bactérias e Fungos Patogênicos.


Sérgio Schneider

CRT: 42.237
Sinaten: CTN-SP 2732
.
TERAPEUTA DO SONO
Fitoterapeuta e Ortomolecular
Especialista em Plantas Medicinais
Pós-Graduado em Fitoterapia Clínica
Especializado em Incontinência Urinária e Prostatite
Principais Tratamentos: RoncoApnéia do Sono e Insônia

 
Sobre
Nossa proposta é cuidar da saúde e bem-estar dos nossos clientes com Tratamentos Preventivos, através de terapias naturais, com o uso da Filoterapia, da Terapia Ortomolecular e da Trofoterapia.

Sérgio Schneider

CRT: 42237

Terapeuta do Sono
Fitoterapeuta e Ortomolecular
Pós-Graduado em Fitoterapia Clínica
Especialista em Incontinência e Prostatite
Atendimento
Caixa Postal: 57.056
CEP: 04089-972
Moema - São Paulo/SP
(11) 5044-0606
(11) 94143-5151 – OI
(11) 94141-1414 – TIM
(11) 99936-1414 – CLARO
(11) 99524-2828 – WhatsApp
Facebook